quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

DIÁRIO DE VIAGEM


Quo vadis, Sampa

            (para Caetano Veloso)

"Alguma coisa acontece
No meu coração",
Caetano, meu poeta
Irmão.

Alguma coisa
Súbita e implacável,
Como o fulgor de um raio
Numa tarde de verão.

Alguma coisa cortante,
Lâmina perfurante
Tentando penetrar-me
A carne.

Espasmo de dor
Debaixo do seio esquerdo,
Chegando e metendo medo,
Doendo, fazendo alarde.

"Alguma coisa acontece
No meu coração",
Caetano, meu poeta
Irmão.
E eu peço clemência
Ao Pai e creio,
Creio em milagres.

No milagre do amor
E no milagre da arte,
Na força de uma imagem
Outrora urdida no peito
De um menino.

(Trazia a Bahia na alma
E no corpo, o fogo
Do desejo peregrino.
E via beleza em tudo,
"No avesso do avesso
Do avesso" do olho
Do destino).

Em Sampa, sem céu,
Sem mar, sem face,
Viu o fado cruel
Dos desvalidos
E a força dos
Sonhos de seus
Filhos erguendo
A cidade.

"Alguma coisa acontece
No meu coração",
Caetano, meu poeta
Irmão.
Também eu vejo
Beleza, vejo virtude,
Vejo fuligem
Nos elmos
Dessa engrenagem.

E peço emprestado
Os versos antigos
Que ora reescreves,
Ao som das guitarras
Da contemporaneidade:

São Paulo, "alguma coisa
Acontece no meu coração",
Algo em ti traduz-me,
Quando deito os olhos

Nos mais altos cumes
Das longínquas torres
De concreto armado
Do teu coração.

                Amneres - Diário de Viagem - www.poesiaemtemporeal-amneres

domingo, 15 de janeiro de 2017

DIÁRIO DE VIAGEM


Morte e
Ressurreição

Dentro da noite
Há mistério,
Insones palpitações
No corpo etéreo
Da existência,
Quando fala a alma
Das palavras:
Morte, livro, unção.

Ela acordou poemas
Ocultos nos recônditos
Do seu coração.

Amar é de repente:
Raio, relâmpago, trovão,
Pingos de encanto
E pronto.

Infarto do miocárdio:
Dor aguda no peito
E o risco de partir
sem aviso prévio.

A lua cheia nasceu
Dentro do mar,
Tanta beleza tem voz:
Deus existe
E ponto.

Despedir-se da mãe
É tão triste, tão triste.
Que durma em paz,
Pede em silêncio
Toda vez que parte.

E enfim o dia amanhece:
Levanta-te e anda,
Amneres.